Blog

Prof. Avigdor Scherz em São Paulo

  Prof. Avigdor Scherz em São Paulo

O pai da terapia fotodinâmica contra o câncer de próstata já aprovada em Israel, Europa e México visitará Brasil  entre 25 e 29 de março de 2019.

Fruto de um novo paradigma desenvolvido pelo Prof. Avigdor Scherz, do Departamento de Botânica e  Ciências Ambientais, junto com Prof. Yoram Salomon (que faleceu em 2017), do Departamento de Regulação Biológica, ambos do Instituto Weizmann de Ciências  (WIS), a nova terapia para a cura do câncer de próstata em estádio inicial já foi aprovada em Israel, Europa e México, e se espera seja aprovada em breve no Brasil.

Os pacientes são liberados poucas horas após o procedimento ambulatorial com duração aproximada de 90 minutos, e podem retornar às suas atividades normais em poucos dias, sem nenhum dos efeitos colaterais frequentemente associados à remoção da próstata por cirurgia ou à radioterapia.

A Terapia Fotodinâmica Vascular Dirigida (VTP) com o TOOKAD® demostrou curar câncer de próstata em estádios iniciais e está sendo pesquisada para o câncer de pâncreas, entre outras doenças.

O TOOKAD® foi sintetizado pela primeira vez no laboratório de Scherz a partir da bacterioclorofila, o pigmento fotossintético de certas bactérias aquáticas que obtêm energia da luz solar.

A Terapia Fotodinâmica Vascular Dirigida (VTP) com o TOOKAD® Solúvel é constituída pela infusão intravenosa da droga e, em seguida, pela iluminação com laser de infravermelho próximo ao tecido prostático canceroso. O fármaco permanece na circulação sanguínea do paciente por um período de três a quatro horas, e a iluminação que chega por meio de fibras óticas finas inseridas com a ajuda de ultrassonografia se limita ao tecido doente. Ali ativa o medicamento em circulação no local, resultando na geração de moléculas altamente reativas que iniciam a rápida morte do tumor, ao mesmo tempo que as estruturas próximas e suas funções são
poupadas.

Perfil
O Prof. Avigdor Scherz estudou na Universidade Hebraica de Jerusalém BSc, MSc e PhD em física, química e biofísica respectivamente. Fez seu pós-doutorado nos Estados Unidos (University of Illinois in Champaign/Urbana e University of Washington em Seattle). Está no Instituto Weizmann de Ciências desde o ano 1983. Atualmente é membro do Departamento de Botânica e Ciências Ambientais.

Prof. Scherz recebeu numerosos prêmios, e é codetentor de 15 patentes que aportaram a base para transferência de tecnologia e estabelecimento de várias Start-ups.

É casado com Dr. Zahava Scherz, do Departamento de Ensino das Ciências do WIS, eles têm dois filhos e cinco netos.

Medicina Personalizada: sucesso da Genética, Big Data, Machine Learning e colaboração

  Medicina Personalizada: sucesso da Genética, Big Data, Machine Learning e colaboração

 

Cientistas do Instituto Weizmann de Ciências (WIS) e médicos hemato-oncologistas de Israel desenvolveram uma nova tecnologia que permite criar o perfil detalhado do mieloma, o segundo câncer do sangue mais comum.

O mieloma múltiplo acontece quando as células da medula que produzem anticorpos se proliferam fora de controle. Cada paciente é único e os testes de sangue são incapazes de identificar a doença no início, bem como classificar qual paciente precisa de qual tratamento.

A nova tecnologia publicada na Nature Medicine permite identificar a genética única das células tumorais tanto em estádios pré-cancerosos como em pós-tratamento e recaída.

História: o médico Dr. Guy Ledergor e o pesquisador Dr. Assaf Weiner, do grupo do Prof. Ido Amit, do Departamento de Imunologia do WIS, junto ao Prof. Amos Tanay, do Departamento de Matemática Aplicada e Regulação Biológica e Ciências da Computação, pensaram que um método altamente sensível desenvolvido pelo grupo poderia ser uma nova forma de enfrentar o mieloma múltiplo. O novo método sequencia o RNA em milhares de células individuais do sangue do paciente ou da medula óssea, permitindo capturar o programa genético específico que está ativo em cada célula.

O Programa Bench to Bedside (da bancada ao leito) do WIS liderado pelo prof. Gabi Barbash ajudou a recrutar a colaboração de todos os departamentos de hemato-oncologia de Israel. Sequenciando dezenas de milhares de células de pacientes e de pessoas saudáveis (grupo controle), concluiu-se que as pessoas saudáveis tinham perfis similares, mas os pacientes tinham perfil heterogêneo, que podia até ser mais de um em cada  indivíduo.

Os pesquisadores usaram enfoque de Machine learning para identificar células malignas em dezenas de milhares de células. Este rastreamento pode ser útil para diagnosticar sinais iniciais de muitas doenças no estádio pré-canceroso ou recaídas pós-quimioterapia, sendo parte de um enfoque personalizado. Permitirá que sejam tomadas decisões baseadas no perfil individual das células de cada paciente.

“Estamos desenvolvendo colaborações similares entre pesquisadores baseados em hospitais e pesquisadores de ciência básica para avançar no diagnóstico e tratamento de  outras doenças” disse o Prof. Gabi Barbash.

“Até agora, a analise genômica de uma única célula estava confinada a um número pequeno de laboratórios de pesquisa.

Estamos constantemente empurrando os limites desta tecnologia para convertê-la em uma  erramenta diagnóstica” disse prof. Amit.

“Estamos ingressando em uma era que o Big data e a Machine learning vão possibilitar aos médicos obter novas perspectivas e compreender doenças devastadoras como o mieloma múltiplo” – disse o Dr. Weiner. “No futuro, talvez os médicos possam seguir as doenças em tempo real, em cada paciente, e tratar de forma personalizada antes da aparição dos sintomas“ – acrescentou o Dr. Ledergor.

Saiba mais: Profiling killer warm blood

I SIMPÓSIO WEIZMANN-EINSTEIN TRAVELS FROM BENCH TO BEDSIDE AND BACK

I SIMPÓSIO WEIZMANN-EINSTEIN
TRAVELS FROM BENCH TO BEDSIDE AND BACK
PÚBLICO-ALVO: Pessoas com interesse em pesquisa científica.
Biólogos, Biomédicos, ​​Cirurgiões-Dentistas, Enfermeiros, Estudantes, Farmacêuticos, Fisioterapeutas, Médicos, Professores, Residentes, Terapeutas, Pesquisadores e todas as profissões na área da saúde.

Quatro pesquisadores do Instituto Weizmann de Ciências (WIS) de Israel, com experiência em trilhar os caminhos entre a bancada e o leito na busca de novas terapias, vão participar junto a colegas do HIAE e da Universidade de São Paulo (USP) do I Simpósio Weizmann-Einstein TRAVELS FROM BENCH TO BEDSIDE, AND BACK.

Data: 23 de outubro de 2018

Local: Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) – SP

Inscrições: clique aqui

Cientistas do WIS participantes:

Departamento de Ciências Biomoleculares

Formou se em Ciências Biológicas na Universidade Hebraica de Jerusalém e fez doutorado em Química Biológica no Instituto Weizmann de Ciências. Realizou pesquisa pós doutoral no WIS, no laboratório do Prof. Moshe Oren e no Instituto Whitehead de pesquisa biomédica do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Ao longo da carreira recebeu numerosos prêmios* e, hoje, como pesquisadora do Instituto Weizmann, ocupa a cadeira Ernst and Kaethe Ascher de Desenvolvimento das Ciências da Vida.

O foco da pesquisa da Dra. Ruth é compreender como as células cancerígenas recrutam e modificam células normais, criando um ambiente que promove a progressão do tumor e a metástase. Ela estuda os caminhos de proteção desenvolvidos pelas células para promover a sua sobrevivência em condições de estresse. O câncer explora alguns destes mecanismos de defensa, como o choque térmico. Em seu trabalho mais recente, ela descobriu que o fator de choque térmico 1 (HSF1), o principal regulador da resposta de choque térmico evolutivamente conservada, desempenha um papel vital no microambiente tumoral, Ela demonstrou como HSF1 pode reprogramar fibroblastos no microambiente de um tumor para suportar malignidade.

*Israel Cancer Research Fund Gesher Award for young scientists and the Peter and Patricia Gruber Award in 2016, the AACR Scholar-in-Training Award apoiada por Susan G. Komen no 2014 e Stuart fellowship for cancer research no ano 2011. Weizmann Institute of Science National Postdoctoral Award for Advancing Woman in Science, Fulbright Postdoctoral Fellowship, Human Frontiers Scientific Program Long-Term Fellowship. Sir Charles Clore Postdoctoral fellowship, Feinberg Graduate School Dean’s prize for PhD students e Aharon Katzir Center travel fellowship.

Departamento de Imunologia

Formou se em ciências na Universidade Hebraica de Jerusalém e fez mestrado e doutorado no Instituto Weizmann de Ciências. Durante o seu pós-doutorado no Canadá, no Hospital for Sick Children de Toronto, desenvolveu modelos pré clínicos funcionais para células tronco humanas e, junto aos colegas, fez a descoberta de células tronco cancerosas no sangue de pacientes com leucemia. No ano 1994, ingressou no Departamento de Imunologia do WIS como pesquisador de Células Tronco na cadeira Edith Arnoff Stein.

A suas pesquisas podem melhorar os protocolos de transplante clínico e oferecem conhecimento sobre as semelhanças e diferenças entre as células tronco normais e as leucêmicas. Lapidot investiga como a migração e o desenvolvimento de células-tronco de sangue, normais e leucêmicas, são reguladas, incluindo as interações dinâmicas entre o sistema nervoso e imunológico na medula. O laboratório dele explora a interação entre o metabolismo ósseo e a matriz de proteínas envolvidas na regulação de células tronco envolvidas na formação de células do sangue, a produção de células do sangue a demanda, assim como a saída e mobilização das células tronco como parte dos sistemas de defesa e reparação.

Reconhecido como um líder internacional na biologia da formação do sangue a partir das células tronco, recebeu numerosos prêmios*. É casado e tem três filhos.

*The Alon Fellowship for Top Ranked Young Israeli Scientists (1994), the Morris L. Levinson Award in Biology (1999), the James Heineman Research Award in Life Sciences (2002), the McCulloch & Till Lecture and Award (2008), the Ham-Wasserman Lecture Award (2010), and the Ernest and Bonnie Beutler Research Program of Excellence in Genomic Medicine (2014).

Departamento de Genética Molecular

Bacharel em Química pela Universidade Hebraica de Jerusalém, fez o mestrado em Química e o doutorado em Física-química no WIS. Como doutoranda, trabalhou com o Prof. Zeev Luz conduzindo estudos de RMN de processos dinâmicos em sólidos. Posteriormente teve um cargo de pesquisa na companhia Israeli de biotecnologia Numalog.

Como pós doutoranda e pesquisadora associada no WIS, investigou a genética do olfato humano e a genética de doenças raras utilizando ferramentas computacionais. Junto ao Prof. Lancet, teve um papel importante na descoberta dos genes de receptores olfatórios em humanos e outros mamíferos, e desenvolveu a base de dados Human OR Data Explorer (HORDE). Participou também no desenvolvimento de ferramentas computacionais que permitem decifrar mutações causantes de doenças.

Alcançou grande experiência nas ferramentas bioinformáticas mais modernas, como sequenciadores de próxima geração e estudos de doenças humanas.

A sua pesquisa é ampla, desde estudos da união osso – tendão durante o desenvolvimento embrionário a variações genéticas da Esclerose Lateral Amiotrófica, mapeamento dos produtos génicos envolvidos no sistema olfatório humano e o estudo da resistência a antibióticos das bactérias do solo. De forma complementar, oferece os cursos de bioinformática para os estudantes graduados na Feinberg Graduate School do Instituto Weizmann de Ciências.

Doutoranda no Laboratório Dr. Ravid Straussman – Departamento de Biologia Celular Molecular

Leore Geller é estudante de doutorado no laboratório do Dr. Ravid Straussman no Departamento de Biologia Celular Molecular. O grupo de Straussman está estudando as bactérias encontradas em tumores humanos e seu papel no crescimento do tumor em resposta à terapia. Em um estudo conduzido por Leore, o laboratório publicou um artigo na Science em que eles relataram que as bactérias podem ser encontradas dentro tumores do adenocarcinoma ductal pancreico (PDAC). Além disso, eles descobriram que algumas dessas bactérias podem metabolizar e, assim, inativar um medicamento de quimioterapia que é habitualmente usado no tratamento de PDAC. Embora esse trabalho tenha focado especificamente no efeito de bactérias na eficácia desse único agente quimioterápico, a presença de bactérias em tumores poderia ter implicações além do metabolismo da quimioterapia. Leore está agora explorando efeitos adicionais que essas bactérias intratumorais podem ter sobre o câncer.

TEMAS

Procura de novos alvos através da genética

Novas funções para o Lis1L: de células tronco a organoides humanos.
Psiquiatria na placa: modelando o Desordem do espectro autista.

Conhecimento básico na ajuda dos protocolos clínicos

Regulação metabólica de células tronco formadora de sangue e osso: a função do ROS, oxido nítrico e melatonina.
Melatonina sintetizada no câncer, um novo paradigma no prognóstico dos tumores sólidos.

Neuro-imunologia

Mitigando a doença de Alzheimer, da pré clinica a clínica.
Compreendendo a microcefalia causada pela infecção do vírus ZIKV

Mulheres na ciência, criando perspectivas inovadoras

Mecanismo de reprogramação do estroma no microambiente tumoral
Novas estratégias para deter a progressão da nefropatia diabética: exagero ou esperança?

No caminho dos negócios

O microbioma tumoral e a sua influência na resistência as drogas.
Modelos inovadores de ensaios clínicos: o papel do Big Data, IA e pesquisa centrada no paciente