A fonte da juventude do sistema imune

A fonte da juventude do sistema imune

Ajudar o sistema imune a limpar células velhas, restaurou as caraterísticas
da juventude em camundongos idosos.

O tratamento elimina células senescentes dos tecidos no camundongo idoso. A tinta azul mostra (acima) as células senescentes em tecido do fígado (Liver) e pulmão (Lung). A quantidade de tinta se reduz marcadamente após tratamento (embaixo)

 

Poderemos no futuro passar os anos mantendo nossos corpos jovens, saudáveis e com energia? Agora, uma nova pesquisa liderada pela Profa. Valery Krizhanovsky e o Dr . Yossi Ovadya do departamento de Biologia Molecular Celular do Instituto Weizmann de Ciências sugere que este sonho pode ser ao menos parcialmente possível.

 

Os camundongos tratados com a droga eram mais ativos e a vida média aumentou.

 

A pesquisa recentemente publicada na revista Nature Communications começou com a investigação da maneira em que o sistema imune limpa as células velhas, senescentes. As células senescentes não estão mortas, mas sofrem perda de função ou dano irreparável, e tem sido implicadas em doenças do envelhecimento promovendo inflamação.

Os pesquisadores usaram camundongos no qual um gene crucial para a atividade do sistema imune estava faltando. Aos dois anos de idade, que para os camundongos é velhice, o corpo dos animais sem esse gene tem uma maior acumulação das células senescentes que os camundongos com o gene intacto. Os camundongos sem o gene tem
aspecto envelhecido e morrem mais cedo, comparado aos normais, e sofrem inflamação crônica e diminuição e várias funções.

Os pesquisadores deram para estes animais uma droga que inibe a função de certas proteínas que ajudam as células que estão envelhecendo a sobreviver no estado senescente, para ver se assim podiam contribuir a remover estas células do corpo. As drogas foram administradas aos camundongos nos quais o envelhecimento era o resultado de disfunção do sistema imune assim com os que tinham envelhecimento prematura
devido a um erro genético diferente. Os camundongos tratados responderam excepcionalmente bem a droga; os exames de sangue e atividade mostraram melhoras e os tecidos eram similares aos mais novos.

Os cientistas contaram as células senescentes e no corpo dos animais tratados havia bem menos, assim como houve redução nos signos de inflamação. O camundongo tratado era mais ativo e a sua vida média aumentou.

Os cientistas pretendem continuar explorando como o corpo humano remove a suas células velhas senescentes, particularmente encontrar maneiras para que o próprio sistema imune faça a tarefa. Se os experimentos futuros provarem que estas ideias são corretas, seria o caminho de verdadeiras terapias anti-age.

A pesquisa da Profa. Valery Krizhanovsky’ tem o apoio do Sagol Institute for Longevity Research; o Ilse Katz Institute for Material Sciences and Magnetic Resonance Research; a Rising Tide Foundation; a Quinquin Foundation; Mr. and Mrs. Bruce Kanter; e o Conselho de Pesquisa da Europa