Notícias

Mario Fleck recebe o título de doutor em Filosofia honoris causa pelo Instituto Weizmann de Ciências

Mario Fleck recebe o título de doutor em Filosofia honoris causa pelo Instituto Weizmann de Ciências

Mario Fleck, presidente dos Amigos do Weizmann do Brasil, foi agraciado com o título de doutor em filosofia honoris causa pelo Instituto Weizmann de Ciências (WIS) em cerimônia que aconteceu no dia 12 de novembro de 2019, durante o 71 Annual General Meeting of the International Board do Instituto Weizmann de Ciências. O título de doutor de Filosofia honoris causa é a maior honraria concedida pelo Instituto Weizmann de Ciências para pessoas com ideais e valores compartilhados pela instituição, tais como excelência, dedicação para melhorar a condição da humanidade e profunda paixão impulsionada pela curiosidade.

O diploma é concedido anualmente a líderes no mundo da ciência, academia, arte e filantropia. Este ano o WIS concedeu a mesma honraria ao presidente de Israel, Reuven Rivlin,
aos cientistas Profa. Martha Nussbaum (EUA), Prof. Jonathan Dorfan (EUA) e Prof. Raphael Mechoulan (Israel), ao fotógrafo Alex Levac (Israel), ao rabino Adin Steinsaltz (Israel), e à diretora da Adeli Foundation (França). Eles se juntaram a uma lista iniciada no ano 1966 que inclui personalidades como Shimon Peres, Menachem Begin, Jimmy Carter, Henry Kissinger, Elie Wiesel, do mundo da arte como Zubin Metha, Arthur Rubinstein e Marc Chagall, do pensamento como Simone Weil, da ciência como Eric Kandel, François Jacob, Severo Ochoa e Rita Levi Montalcini e da filantropia como Morris Kahn. Outros brasileiros como Adolpho Bloch (1978), Dra. Regina Feigl (1982) e Samy Cohn (1994) também foram homenageados com o “Honoris Causa”.

Na cerimônia, o presidente do WIS Prof. Daniel Zajfman distinguiu Mario Fleck como “filantropo com percepção e visão” reconhecendo “no líder empresarial o seu espírito coletivo e capacidade de inspirar os outros”. Na apresentação da sua biografia, frente a centenas de personalidades do mundo todo, destacaram “o seu compromisso com a sua comunidade, en várias ONG como Parceiros da Educação, onde o setor privado se esforça para melhorar a educação pública, o Hospital Albert Einstein, a Orquestra Sinfônica, e o Comitê para a Democracia na Informação entre outros.

No pronunciamento de outorga o título foi concedido a Mario Fleck “em reconhecimento da sua liderança exemplar em incontáveis iniciativas e organizações, beneficiando problemas sociais, educação, ciência e artes, a nível local, nacional e internacional. Pela sua fervorosa dedicação, motivada por um sentido profundo de responsabilidade individual, para o bem-estar do povo judeu e o estado de Israel. E pelo seu entusiasmo e maravilhosa administração da excelência cientifica, que se manifesta no seu compromisso permanente com o Instituto Weizmann de Ciências e os Amigos do Weizmann do Brasil.”

O Professor Daniel Zajfman fez questão de lhe agradecer por ter aprofundado e fortalecido as relações com o Brasil, o que podia ser conferido na participação da delegação de 65 pessoas, entre lideranças, empresários e integrantes dos Amigos do Weizmann do Brasil.

Perfil Doutor h.c. Mario Fleck
Há mais de 12 anos à frente dos Amigos do Weizmann do Brasil, Mario Fleck ocupou várias posições de liderança na comunidade judaica do Brasil. Atualmente é presidente da CIP – Congregação Israelita Paulista, presidente do Conselho da FISESP – Federação Israelita do Estado de São Paulo, vice-presidente da Câmara Brasil-Israel de Comércio e Indústria, conselheiro do Hospital Albert Einstein, conselheiro da escola Alef, co-chair para América Latinado Instituto BILLA do AJC (American Jewish Committee).

Anteriormente, foi presidente do Conselho da EAESP-FGV, presidente do Colégio Max Nordau no Rio de Janeiro e colaborador de diversas ONGs ligadas à educação, cultura e meio- ambiente.

Graduado em Engenharia Mecânica pela PUC-RJ, no âmbito profissional atuou 28 anos na Accenture e há 15 anos é sócio da Rio Bravo Investimentos. Atuou também em diversos conselhos de empresas brasileiras de capital aberto ou privado.

O novo Dream team do Weizmann

 

O novo Dream team do Weizmann

 

Começou esta semana a nova gestão do Instituto Weizmann de Ciencias. O 11º presidente nos 70 anos de história é o Prof. Alon Chen, e junto com ele quatro novos vice presidentes. “Eles são membros de longa data da comunidade científica Weizmann que compartilham minha visão, e, apesar de sua pesquisa já rica e ativa, concordaram em vir a bordo, porque são tão dedicados a esta instituição como eu.” disse o Prof Chen no discurso durante o International Board.

Presidente Prof. Alon Chen

Nascido em Israel em 1970, o neurocientista Prof. Alon Chen, é Chefe do Departamento de Neurobiologia do Instituto Weizmann de Ciências e foi até recentemente diretor do Instituto Max Planck de Psiquiatria em Munique, Alemanha. Lidera o laboratório Weizmann-Max Planck de Neuropsiquiatria experimental e Neuro-genética do comportamento e é professor adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade Ludwig Maximiliam, em Munique, Alemanha “Tive a experiência de trabalhar em um laboratório de pesquisa básica e interagir com pacientes psiquiátricos, através do meu trabalho no Instituto Max Planck, em Munique.

Estudei depressão, ansiedade e outros transtornos e doenças mentais. Testemunhar o sofrimento humano deu base a minha pesquisa e tem servido como um lembrete constante de porque precisamos de ciência. A ciência é perseguida por pura curiosidade. Mas  também serve uma missão maior: melhorar o mundo em que vivemos. Para reduzir o sofrimento e a doença. Para entender o nosso lugar no universo. Se nossa missão é melhorar o mundo em que vivemos, é claro que há muito mais trabalho a fazer.”

Saiba mais: Prof. Alon Chen é anunciado como novo Presidente do Instituto Weizmann de Ciências

Conheça a pesquisa do Prof Alon Chen: Prof. Alon Chen

Vice Presidente, Prof. Ziv Reich

Responsável pela avaliação das necessidades dos cientistas e alocação de fundos e recursos para a investigação.

Pesquisador no Departamento de Ciencias Biomoleculares, o seu laboratório de Fotossíntese e Engenharia Vegetal e Individualidade, Comunidades e Dinâmica populacional segue duas linha de pesquisa: o estudo da fotossíntese e a engenharia de plantas resistentes a seca, e a da relação entre indivíduos, comunidades, ambiente e tempo.

Conheça a pesquisa do Prof. Ziv Reich: Biomolecular Sciences

Vice-Presidente de Administração e Finanças, Prof. Alon Harmelin

Supervisionará todos os elementos de infraestrutura como recursos humanos, construção, operações e finanças. Até agora dirigia o Departamento de Recursos Veterinários.

Conheça a pesquisa do Prof. Alon Harmelin: Alon Harmelin

Vice Presidente para Transferência de Tecnologia, Prof. Irit Sagi

Atuará como Vice-Presidente de Transferência de Tecnologia. Ela será a ponte entre o Instituto e o Yeda, garantindo que as descobertas mais promissoras dos laboratórios impactem a humanidade como novas tecnologias.
A Profa. Irit Sagi, era até agora decana da Faculdade de Pós-Graduação Feinberg, e pesquisadora do Departamento de Regulação Biológica e seu laboratório desenvolveu uma droga que atenua comportamentos semelhantes ao autismo em modelos de doenças.

Conheça a pesquisa da Prof Irit Sagi: Pesquisa

Vice-Presidente de Desenvolvimento de Recursos, Prof. Roee Ozeri

Trabalhará com os comitês mundiais e gerenciará a estratégia de arrecadação de fundos, para aumentar a conscientização para Weizmann e cultivar a filantropia.

Nascido em 1969 em Israel, é pesquisador no departamento de Física de sistemas complexos. Estuda física quântica utilizando iones ultra frios.

Conheça a pesquisa do Prof. Roee Ozeri: Pesquisa

Bactéria “come” CO2

  Bactéria “come”CO2

O microrganismo desenvolvido para viver do ar poderia contribuir a criar tecnologias mais limpas.

As bactérias criadas no laboratório do Prof. Ron Milo do Instituto Weizmann de Ciências pararam de comer todos os seus alimentos sólidos normais, e passaram a viver do dióxido de carbono (CO2) do ar. O avanço permite vislumbrar o desenvolvimento de biocombustíveis neutros em carbono, métodos de produção com emissões mais baixas e até a chance de remover gás carbônico do ar. Tudo muito saudável para o planeta.

“Nosso laboratório foi o primeiro a perseguir a ideia de mudar a dieta de microrganismos que comem substâncias orgânicas (heterotrófico) para convertê-los em autotróficos (“que vivem do ar”)”, diz Milo. “Parecia impossível no início, mas ao longo do caminho aprendemos bastante e no final nós mostramos que de fato podia ser feito. Nossos resultados são um marco significativo em direção ao nosso objetivo de aplicações científicas eficientes e verdes.”

 

 

O trabalho de quase uma década de pesquisa com as bactérias E.coli, submetidas a engenharia genética e pressão evolutiva no laboratório, foi relatado na revista Cell.

Saiba mais:  Greenest diet bacteria switch eating carbon dioxide

Conheça o novo presidente do Weizmann

Prof. Alon Chen

Prof. Alon Chen

Prof. Alon Chen, no cargo desde o dia 1 de dezembro.

Nascido em Israel em 1970, Alon Chen é um neurocientista de renome mundial, que elucidou muitos mecanismos pelos quais o cérebro regula a resposta do corpo ao estresse e como essa resposta está ligada a distúrbios psiquiátricos. Nos últimos seis anos, foi pesquisador do Weizmann e diretor do Instituto Max Planck de Psiquiatria em Munique. Renunciou a esse papel na Alemanha para se concentrar em seu laboratório no Weizmann e seu novo cargo como presidente do Instituto Weizmann de Ciências.

Leia a entrevista na integra (em inglês): Prof. Alon Chen

Leia mais: Bio

Conheca a pesquisa: A personalidade dos animais

A personalidade dos animais

 

Cientistas liderados pelo neurocientista e presidente eleito do Instituto Weizmann, Prof Alon Chen, criaram um método para medir a personalidade animal. Um estudo em camundongos publicado no periódico Nature Neuroscience faz a conexão entre genes, comportamento e personalidade.

A personalidade é por definição algo que é individual e permanece razoavelmente estável a vida toda. Nos humanos é avaliada com questionários de múltipla escolha, mas para os camundongos os pesquisadores a avaliaram a partir dos comportamentos. E os camundongos mostraram ter uma gama de personalidades quase tão grande quanto a nossa própria.

A personalidade dos camundongos foi explorada por dois grupos de pesquisadores, um grupo que trabalha no Instituto Weizmann e um outro no Instituto Max Planck de Psiquiatria na Alemanha. Pequenos grupos de camundongos foram colocados em ambientes com comida, abrigo e brinquedos e podiam interagir e explorar livremente o espaço. Os animais foram filmados ao longo de vários dias e seu comportamento analisado com profundidade. Assim, identificaram 60 comportamentos separados. Por exemplo, ao se relacionarem com outro indivíduo, o comportamento era de aproximação, perseguição, fuga, podiam compartilhar comida ou manter aos outros longe de comida, podiam explorar ou se esconder.

 

 

Quatro camundongos em uma gaiola exibiram cerca de 60 comportamentos diferentes.

Veja o vídeo.

Um algoritmo foi criado para extrair as características de personalidade. Assim como a pontuação de personalidade dos humanos, classifica em escalas, que avaliam cinco pontos (extroversão, simpatia, consciência, neuroticismo e abertura à experiência) o algoritmo desenvolveu quatro escalas para os camundongos. Os cientistas descobriram que cada camundongo pode ser visto como uma personalidade única e individual. Em situações estressantes, mesmo que os comportamentos mudaram, o que eles tinham avaliado como personalidade permaneceu o mesmo.

Outros estudos permitiram identificar nos cérebros dos animais genes associados a algumas características de personalidade.

Uma compreensão quantitativa das características que fazem de cada animal um indivíduo pode ajudar a responder algumas das questões abertas na ciência sobre as conexões entre genes e comportamento. E no futuro talvez permita desenvolver uma psiquiatria personalizada com tratamentos individualizados. Este avanço servirá também para conhecer melhor os animais.

Saiba mais: First time method measuring animal personality

Educação científica para todos, by Weizmann

Educação científica para todos,  by Weizmann

O Davidson Institute, braço de Educação Científica do Instituto Weizmann de Ciências (WIS), tem um papel vital na criação de programas de alfabetização científica em Israel. Ouça neste episódio do WeizmannVoices, o podcast do WIS, uma conversa com sua diretora geral a Dra.  Liat Ben-David. Ela mostra uma visão do trabalho do Instituto Davidson que pode ser considerado um modelo global.
 

Um novo caminho para bloquear o câncer ósseo infantil

 

Um novo caminho para bloquear o câncer ósseo infantil

 

Estudo em camundongos mostrou que a redução de um determinado sinal hormonal evita que o câncer cresça e se espalhe.

O Sarcoma de Ewing é um câncer ósseo que aparece principalmente em adolescentes. Uma vez que se espalha para órgãos distantes é difícil de tratar.  Pesquisadores do Instituto Weizmann de Ciências descobriram novas interações moleculares e propuseram um tratamento promissor através de um estudo em camundongos. Estes resultados foram publicados recentemente na revista Cell Reports.

 

Saiba mais: A New Route to Blocking Children’s Bone Cancer

Torneio de física para estudantes de Ensino Médio 2020

Torneio de física para estudantes de Ensino Médio 2020

The “Safe Cracking” International Physics Tournament

Data de Inscrição: 15/11/2019

Data do evento: 23-24 de Março de 2020

Local: Instituto Weizmann De Ciências, em Israel

Inscrições abertas!

Para estudantes de 2a e 3a série do Ensino Medio (grade 11th and 12th) cursando Advanced High school physics.

Imagina você estar de pé na frente de um cofre que tem lasers, fios, ímãs, e um ventilador. Você tem dez minutos para destravar, e o relógio marca o tempo que passa. Você pode decifrar o código para abrir o cadeado? O torneio internacional de física é a sua chance de provar a todos o que você é capaz.

O torneio de abrir o cofre é um processo. Com base em diferentes princípios da física, equipes de até cinco alunos constroem mecanismos de bloqueio para “cofres”. Cada grupo projeta, constrói e opera um mecanismo de trava seguro que para ser aberto depende que os princípios de física por trás dele sejam decifrados.

O objetivo do torneio é incentivar a compreensão básica dos princípios científicos e desenvolver ideias originais para implementar esses princípios. No dia do torneio, equipes de Israel e de todo o mundo apresentam os mecanismos que construíram como um desafio para as outras equipes tentarem abrir o cofre.

Saiba mais: The “Safe Cracking” International Physics Tournament

Medicina personalizada: exame de sangue para risco de câncer de pulmão


Medicina personalizada: exame de sangue para risco de câncer de pulmão

A procura por câncer de pulmão se faz escolhendo as pessoas pela idade ou tabagismo, e muitos não fumantes ficam de fora dos exames preventivos. Desconhecem assim o risco individual e iniciam mais tarde o tratamento. Agora, cientistas do instituto Weizmann de Ciências (WIS), junto com pesquisadores da Universidade de Cambridge (UK) propõem um novo protocolo de busca através de um exame de sangue. Se baseia na capacidade individual do paciente e reparar os danos no DNA.

O teste do Prof. Zvi Livneh e a doutora Tamar Paz-Elizur do departamento de Ciências Biomoleculares do WIS, considera a atividade de três enzimas reparadoras de DNA através das quais as células respondem aos danos genéticos. Na pesquisa envolvendo 150 pacientes de câncer e 143 pessoas sadias demostraram que uma pontuação baixa no índice de reparação de DNA se associava a um risco 5 vezes maior de desenvolver câncer de pulmão. Além disso, no grupo dos pacientes, este teste permitiria identificar quem responde melhor a imunoterapia. Um grande avanço no caminho da medicina personalizada!

Leia mais: DNA’s smoking gun