Cancer

Novo método permite ver o interior de dezenas de milhares de células individuais ao mesmo tempo e com mais detalhes

 Novo método permite ver o interior de dezenas de milhares de células individuais ao mesmo tempo e com mais detalhes

Em camundongos, essas “informações privilegiadas” permitiram identificar um subconjunto de células imunes que “colaboram” com o câncer, bloqueá-las e matar o tumor.

Um grupo de pesquisa do Instituto Weizmann de Ciências desenvolveu uma tecnologia que permite ver o interior de dezenas de milhares de células individuais, ao mesmo tempo e em maiores detalhes do que nunca. O grupo, liderado pelo Prof. Ido Amit, do Departamento de Imunologia do Instituto, aplicou esse método para definir as células imunes que se infiltram nos tumores. Assim, identificou um novo subconjunto de células imunes inatas que “colaboram” com o câncer. Em camundongos, bloquear essas células imunes inibidoras permitiu matar o tumor.

A nova técnica, chamada INs-seq (intracellular staining and sequencing– coloração e sequenciamento intracelular em trad. livre) permite aos cientistas medir RNA, proteínas e estudar processos bioquímicos que ocorrem dentro de cada uma das células. Essa riqueza de “informações privilegiadas” pode ajudá-los a desenhar distinções muito mais finas entre diferentes subtipos celulares e atividades do que é possível com os métodos existentes. Os cientistas usaram a tecnologia para abordar uma questão que vinham tentando resolver há décadas: Por que o sistema imunológico não reconhece e mata células cancerígenas, e por que a imunoterapia muitas vezes falha? A resposta poderia estar em ações específicas de subgrupos de células imunes. Os pesquisadores acreditam que a INs-seq pode ajudar os pesquisadores a identificar essas células particulares e desenvolver novas terapias para tratá-las

A  Yeda Research and Development, braço de transferência de tecnologia do Instituto Weizmann de Ciências, já está  trabalhando não apenas no desenvolvimento de um novo anticorpo de imunoterapia para uso clínico mas na transferência da tecnologia INs-seq.

 

Saiba mais: Internal Differences: A New Method for Seeing into Cells

 

 

Câncer: Uma nova abordagem para personalizar a terapia oncológica

 Câncer: Uma nova abordagem para personalizar a terapia oncológica

Escolher a droga certa para cada paciente com câncer é a chave para o tratamento bem-sucedido. Pesquisadores do Instituto Weizmann de Ciências, em colaboração com cientistas do MIT e Universidade de Harvard desenvolveram um novo método para selecionar a melhor terapia medicamentosa para um determinado tumor. Ele se baseia na atribuição de pontuações às mensagens que são enviadas dentro das células. O estudo foi publicado na Nature Communications.

O grande avanço dos cientistas foi focar o interesse nas cadeias de sinais bioquímicos que transmitem mensagens celulares cruciais, por exemplo, se uma célula deve se dividir ou crescer, ou de que forma seu metabolismo deve ser alterado. Em cada caminho, intervém inúmeros genes e para descobrir a atividade das cadeias que transmitem cada mensagem, são necessários métodos sofisticados de pesquisa. O estudo propõe que estas vias de sinalização sejam usadas como marcadores biológicos prognóstico na medicina personalizada, ajudando os médicos a dizer com antecedência quais pacientes responderão melhor a qual medicamento.

Identificar o calcanhar de Aquiles dos tumores, permitirá desenvolver novos medicamentos.  Os pesquisadores já o tinham usado para propor um caminho que poderia oferecer o tratamento eficaz para cânceres de mama com uma mutação BRCA.

Para desenvolver esta abordagem na base da grande quantidade de dados sobre o câncer que se tornaram disponíveis nos últimos anos, o laboratório liderado pelo Dr. Ravid Straussman do Departamento de Biologia Celular Molecular do Weizmann, uniu forças com o laboratório do Prof. Gad Getz, do Broad Institute em Cambridge, Massachusetts, EUA.

 
Saiba mais: A New Approach to Tailoring Cancer Therapy: Tapping into Signaling Activities in Cancer Cells

 

O importante avanço para garantir o sucesso da terapia anticâncer

 O importante avanço para garantir o sucesso da terapia anticâncer 

 

Uma das frustrações dos tratamentos anticâncer é que nenhuma droga existente têm a mesma eficácia em todos os pacientes, inclusive nos que têm o mesmo tipo de câncer. Pesquisadores do Instituto Weizmann liderados pela Profa. Yardena Samuels diretora do Weizmann-Brazil Tumor Bank identificaram marcadores que podem ajudar a prever quais pacientes têm maior chance de uma resposta positiva aos tratamentos de imunoterapia. O foco de seu trabalho é o melanoma, e a descoberta em parceria com cientistas dos EUA, foi publicada na Nature Communications.

Saiba mais Predicting Immunotherapy Success 

Um novo caminho para bloquear o câncer ósseo infantil

 

Um novo caminho para bloquear o câncer ósseo infantil

 

Estudo em camundongos mostrou que a redução de um determinado sinal hormonal evita que o câncer cresça e se espalhe.

O Sarcoma de Ewing é um câncer ósseo que aparece principalmente em adolescentes. Uma vez que se espalha para órgãos distantes é difícil de tratar.  Pesquisadores do Instituto Weizmann de Ciências descobriram novas interações moleculares e propuseram um tratamento promissor através de um estudo em camundongos. Estes resultados foram publicados recentemente na revista Cell Reports.

 

Saiba mais: A New Route to Blocking Children’s Bone Cancer

Melanoma: importante avanço para reconhecer os pacientes que respondem melhor à imunoterapia

Melanoma: importante avanço para reconhecer os pacientes que respondem melhor à imunoterapia.

Graças aos novos tratamentos de imunoterapia, as mortes por melanoma caíram bastante nos últimos anos. Porém, muitos pacientes não respondem à terapia e a Profa. Yardena Samuels do departamento de Biologia Celular Molecular do Instituto Weizmann de Ciencias queria saber o por quê.

A sua nova pesquisa mostrou que os tumores menos propensos a ser afetados pelo sistema imunológico, o que reduz a chance de que a imunoterapia seja eficaz, são aqueles com células que se diferenciaram em subtipos mais diversificados. “Descobrimos que para prever o sucesso da imunoterapia, é melhor testar o número de subtipos de células e seu lugar na árvore filogenética do que a carga de mutações “, diz a Profa. Samuels. “Analisamos também dados dos pacientes com melanoma submetidos à imunoterapia, e encontramos uma alta correlação entre esses fatores e o sucesso do tratamento. Pretendemos usar este sistema experimental que criamos para trabalhar no desenvolvimento de protocolos personalizados aplicáveis para pacientes oncológicos. ”

Os resultados desta pesquisa, foram publicados na revista Cell, e aponta também novos caminhos para a pesquisa de vacinas contra o câncer. A investigação foi realizada em animais pelos Dr. Yochai Wolf e DR. Osnat Bartok  do Laboratorio da Profa. Samuels e participaram também cientistas dos Departamentos de Imunologia e do Centro Nacional para a Medicina Personalizada Nancy and Stephen Grand, do Instituto Weizmann de Ciências,   da Escola de Medicina Hadassah da Universidade Hebraica, do Technion, do Instituto Nacional do Câncer dos EUA e as universidades de Cambridge e  de Londres (UK).

A Profa. Samuels é diretora do Weizmann–Brasil Tumor Bank.

 

Saiba mais:

Cancer Protocols: A New Approach to Predicting Treatment Outcomes

Banco de Tumores

Profa. Michal Neeman, VP do Instituto Weizmann de Ciências, estará em São Paulo na próxima semana

 Profa. Michal Neeman, VP do Instituto Weizmann de Ciências, estará em São Paulo na próxima semana

 

A Profa. Michal Neeman, Vice Presidente do Instituto Weizmann de Ciências, e titular da cadeira Helen and Morris Mauerberger de Ciências Biológica, participará do Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria nos dias 10 e 11 de junho em São Paulo. O evento é organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) que reúne representantes do setor produtivo, do governo e da academia para debater sobre inovação.

A pesquisa da Profa. Neeman no Departamento de Regulação Biológica foca em mecanismos que regulam o processo no qual se formam novos vasos sanguíneos (angiogênese), particularmente no câncer de ovário. Ela demostrou que as mudanças hormonais que acompanham a menopausa promovem de forma indireta o crescimento de tumores dormentes e a dispersão do câncer de ovário por meio de crescimento de vasos que nutrem os tumores. Seu estudo pioneiro visa acompanhar e evitar o crescimento dos vasos, consequentemente aumentando a  sobrevida dos pacientes.

Veja o programa completo do Congresso de inovação

 

Prof. Yosef Yarden, referência mundial em pesquisa do câncer, em São Paulo

Prof. Yosef Yarden

Prof. Yosef Yarden, referência mundial em pesquisa do câncer, em São Paulo

O Prof. Yosef Yarden é Diretor do Instituto Dwek de Pesquisa para Terapia do Câncer do Centro Moross Integrado de Câncer (MICC) e chefe do Departamento de Regulação Biológica do Instituto Weizmann de Ciências. No dia 17 de maio, ele será o palestrante de destaque do Next Frontiers to Cure Cancer, evento organizado pelo A.C. Camargo Cancer Center em São Paulo.

Em sua palestra, o Prof. Yarden traçará o cenário atual das terapias oncológicas com foco no tratamento do câncer de pulmão, e descreverá algumas pesquisas promissoras já realizadas nos modelos animais de câncer de pulmão.

Prof. Yosef Yarden

Conferência Magna: O presente e o futuro no tratamento do câncer

Data: 17 de maio às 12:00

Local: Next frontiers to cure Cancer. WCity São Paulo

Destinado a médicos e outros envolvidos na assistência e pesquisa multidisciplinar.

Inscrições: http://nextfrontiers.com.br/#inscricao

A pesquisa do Prof. Yarden se foca em uma familia de proteínas chamadas de fatores de crescimento, e os receptores na membrana celular que promovem crescimento tumoral. O Prof. Yarden descobriu a função de um amplificador molecular que fortalece os sinais químicos que estimulam as células a se tornem cancerosas. Esta descoberta foi fundamental para novos tratamentos contra o câncer baseados em silenciar este amplificador molecular. Atualmente estão trabalhando em varias áreas, o que poderá mudar o cenário da terapia do câncer no futuro próximo.

Segundo o Prof. Yarden, “na área de câncer, o ritmo da pesquisa e, especialmente, o ritmo de aprovação de novas drogas é verdadeiramente impressionante. Junto com as novas drogas, o que todo mundo que trabalha com câncer espera testemunhar são os grandes avanços (breakthroughs) na detecção precoce. Novas tecnologias, como espectrometria de massa e detecção de fragmentos de DNA no sangue, nos permitirão detectar os tumores muito mais precocemente, em fases em que as células de câncer ainda são vulneráveis, e o câncer pode ser curado. Mas a chave para uma terapia efetiva e relativamente segura é a detecção precoce”.

Nascido em Israel, o Prof. Yosef Yarden é Bacharel em Ciências Biológicas e Geológicas pela Universidade Hebraica de Jerusalém (1980), e doutor em Biologia Molecular pelo Instituto Weizmann de Ciências (1985). Sua formação em pós-doutorado foi realizada na Genentech, Inc., em San Francisco e no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Ingressou no Instituto Weizmann de Ciências em 1988 onde foi o primeiro diretor do Instituto de Pesquisa do Câncer MD Moross e reitor da escola Feinberg de pós-graduação. Atualmente é chefe do Departamento de Regulação Biológica e, como professor, ocupa a cadeira Harold e Zelda Goldenberg de Biologia Celular Molecular.

É Diretor do Instituto Dwek de Pesquisa para Terapia do Câncer, onde se aprofunda nos mecanismos moleculares caraterísticos das células cancerígenas e o microambiente par uma compreensão mais profunda do programa da morte instalado em cada célula, e se identificam enfoques biológicos novos e eficientes para enfrentar a resistência da célula tumoral a morte. O objetivo é encontrar drogas e outros tipos de modalidades de tratamento com dano mínimo aos tecidos saudáveis. O instituto faz parte do Centro Moross integrado de Cancer. (MICC), que visa utilizar o poder da pesquisa básica para facilitar a tradução para área clínica em prevenção, diagnóstico e cura do câncer.

O Next Frontiers to Cure Cancer, congresso anual do A.C.Camargo Cancer Center, integra profissionais para trazer os mais recentes avanços da oncologia para o Brasil. Contará com a presença centenas de convidados nacionais e dezenas de convidados internacionais. O tema central do congresso é a Convergência, um novo conceito que agrega o conhecimento científico de diversas áreas e que vem mudando os rumos da medicina e da oncologia numa velocidade exponencial. A palestra do Prof. Yarden é destinada a médicos e outros profissionais envolvidos na assistência e pesquisa multidisciplinar.