Algoritmo que prevê a resposta imune a um patógeno poderá melhorar os diagnósticos