Depoimento da bolsista Patricia Honorato Moreira sobre os primeiros dias da Escola de Verão do Weizmann 2019

Patricia no Weizmann: o que ela tem para contar?

Sem dúvidas esse mês foi o mais intenso da minha vida, em que eu enfrentei vários medos para conseguir desfrutar tudo que o programa tinha a oferecer.
Eu e meus amigos viajamos dia 30 de junho e chegamos em Israel dia 1 de julho, logo no primeiro dia eu percebi em como essa experiência impactaria positivamente na minha vida. Eu sempre coloquei o inglês como uma grande barreira a ser superada e eu me surpreendi em ver como eu pude evoluir durante essa oportunidade e contar com o suporte dos meus amigos de outros países.

A primeira e a segunda semana tive uma grande imersão no projeto de pesquisa que trabalhei no laboratório de pesquisa de ciências ambientais com dois colegas de pesquisa de Hong Kong e outro da Inglaterra e fiz grandes amizades que levarei para vida, e juntos estudamos sobre como as arvores da floresta Yatir em Israel lidam com a deficiência de água durante o verão e criaram mecanismos no processo de fotossíntese para sobreviverem com pouca água. E durante os finais de semana tive a oportunidade de conhecer uma das estruturas das cidades mais antigas do mundo e uma cultura em que se tem varias religiões convivendo em um mesmo ambiente, algo que ate então não tinha visto de perto no Brasil aonde eu moro. No final de semana que conhecemos galileia, foi um dos momentos mais únicos da minha vida, conheci o mar pela primeira vez e vi de perto aquilo que foi me ensinado na escola quando criança sobre o império romano na cidade de Cesareia.

Na ultima semana, eu passei 5 dias no deserto, e enfrentei meus maiores medos, fazendo trilhas em montanhas, tendo medo de altura mas ao mesmo tempo eu tive a belíssima oportunidade de entrar pela primeira vez no mar… o Mar vermelho, onde eu vi os corais e sem duvidas essa e uma das lembranças mais que levarei comigo para sempre. Nos últimos dias da viagem no deserto, vivi um dos momentos inesquecíveis, e uma das minhas paixões quando criança… Eu explorei o deserto a noite e vi as estrelas e planetas do sistema solar com um telescópio, mas não somente isso, dormimos uma noite no deserto e eu pude ver uma noite toda as estrelas.

No final dessa grande aventura, eu apresentei aquilo para o qual me preparei durante o mês todo, com uma sensação de dever cumprido e sem me sentir arrependida de nada que fiz.

Israel e o instituto Weizmann de Ciência me forneceram boas lembranças que nunca esquecerei, me deram a oportunidade de desenvolver um projeto cientifico fora do meu pais pela primeira vez. E o mais importante, me fez ver que eu quero ser uma cientista, pois isso e o que eu amo e o que eu quero para meu futuro.