Depoimento da bolsista Natalia Von Staa Mansur sobre os primeiros dias da Escola de Verão do Weizmann 2019

Natalia no Weizmann: o que ela tem para contar?

Na última semana do programa de verão do ISSI eu estou triste. Triste porque está acabando. Este programa simplesmente extrapolou totalmente as minhas expectativas.

Lembro que estava nervosa no início, apesar de muito animada. Será que vou fazer amizades? Será que vou estar no nível necessário para a minha pesquisa? Vou sobreviver no deserto???

No segundo que eu pisei no centro de convivência e conheci os meus colegas, os meus medos evaporaram. Conheci pessoas incríveis, que apesar que incrivelmente inteligentes, são humildes e um amor de pessoa. Tenho maravilhosas memórias e contatos para trazer para casa agora.

Me surpreendi com o conforto que tive ao trabalhar no nosso projeto. As minhas colegas são maravilhosas, e o mentor é extremamente compreensível e paciente. Gostei também de toda a convivência que tínhamos com pesquisadores de outros laboratórios, e como todo o aparato laboratorial do departamento é compartilhado, e não nos isolamos nas nossas salinhas com suas máquinas. Sem contar que é de cair o queixo a qualidade das máquinas presentes neste instituto. Sensores de concentração de RNA, detectores extremamente precisos de massa de proteínas, e muitos outros.

Como se não bastasse, foram organizadas viagens maravilhosas para conhecermos a região. Visitamos Jerusalém e o Jardim de Haifa, discutimos preços em um tradicional mercado árabe, e para realizar meu sonho de princesa de 1001 noites, exploramos o deserto!!! Nadamos em oásis, andamos de camelo e vimos as estrelas mais nítidas do que qualquer cidadã paulista jamais poderia sonhar.

Sou extremamente grata por toda esta experiência e agradeço muito a todos que permitiram que ela se realizasse! 🙂